A partir de 2019 as carteiras de motorista contarão com chip inteligente

A Resolução do Conselho Nacional de Trânsito será publicada ainda no mês de novembro deste ano, onde modificará a Carteira Nacional de Habilitação, a CNH, que passará de impressa em papel para um cartão de plástico com um smart card, ou seja um chip inteligente. O formato é semelhante a um cartão de crédito e débito convencional, com chip de gravação de dados a laser.

As entidades e órgãos executivos de trânsito dos Estados terão que se adequar ao novo modelo para a aquisição da CNH até o dia 1º de janeiro de 2019 e nenhuma carteira irá perder sua validade. Os motoristas farão a troca de modelo na renovação e a emissão da primeira via será realizada no novo modelo em 2019. Não é necessário fazer uma troca, pois os dois modelos serão válidos com a substituição gradual.

A nova carteira de habilitação possibilitará diversas informações no chip relacionadas ao condutor, segundo o Ministério das Cidades, como, por exemplo, o CPF, e também facilitará o acesso dos certificados digitais. A possibilidade de utilização dos documentos e a consulta e verificação de dados será facilitada.

A possibilidade de uso para outros fins será permitida com a novas estrutura da CNH, tais como o pagamento de pedágio e transporte público e o controle de acesso a locais públicos e universidades, o que vai depender do interesse dos setores responsáveis em utilizar essas oportunidades.

Para o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, o novo formato da carteira de habilitação ajudará a evitar fraudes e possibilitará a integração com outros países.

Recentemente, a CNH passou por diversas mudanças, como em janeiro que ela ganhou um novo visual com mais itens, como marca d’água e itens holográficos. No mês de maio o documento recebeu o QR-Code que permite a checagem de dados através de leitura com uma câmera de smartphone.

A versão digital da CNH é apresentada em alguns estados desde outubro deste ano e até o mês de fevereiro do ano que vem, o documento eletrônico estará disponível em todo país com acesso através do celular.

Em 2017 também foi elaborado um projeto chamado “Identificação Civil Nacional“, que contém em um único cartão o CPF, RG, título de eleitor e cadastro biométrico, ficando de fora somente a CNH e o passaporte.