O valor da notícia

A notícia corre; a notícia voa; a notícia chega e se espalha. Assim, a notícia é o fator determinante que une, agrega e aglutina o elemento humano. A notícia, ou seja, vir a saber-se de algo novo, é o ponto culminante da transformação, da mudança nos parâmetros socias vigentes e, por assim dizer, é o que decreta a partir de seu advento os rumos a serem tomados por seus interlocutores então. Um reino não cai quando tomba o último cavaleiro mas sim quando trazendo a mensagem o portador das novas anuncia a sua queda, e se ergue um quando é declarado à todos, vida longa ao rei!

Desse modo a circulação da notícia, o fluxo da informação, é o aspecto que concorre para a própria evolução humana em todos os sentidos. O Homem é o único animal que não aprende nada se não lhe for ensinado. Um pai comunica a seu filho sobre os valores e relevâncias que terá de observar no mundo ao qual o insere, e o próprio pai, junto com todos os demais, deverá encarregar-se em disseminar o conhecimento obtido e estar ciente do que acontece a ponto na atualidade, para que possa colocar-se adequadamente diante dos fatos.

Por isso mesmo a notícia é um dos bens mais valiosos e importantes que alguém pode manejar, apesar de da mesma maneira que tantos outros recursos preciosos são mal utilizados as notícias são algo que merecem especial atenção pois o modo como lidarmos com elas pode mudar a nós mesmos.

Nos dias de hoje, na era da Informação, o compartilhamento maciço de novos conteúdos a todo tempo através de diversos canais pelo mundo, pode tornar o processo de assimilação um tanto confuso, portanto é essencial que se cuide para que comunicação seja produtiva e eficaz. De uma maneira geral um grande número de meios de informação veicula notícias abordando de forma exagerada temas e assuntos de relevância nula para o avanço comum. Uma vez que todos têm suas dificuldades no viver o mais apropriado é se orientar no sentido de divulgar e receber o que é próprio para se resolver, sanar, superar as situações. Para isso é necessário filtrar a notícia. Demasiado enfoque em tragédias, calamidades e polêmicas sem sentido pervertem a verdadeira função da notícia que longe de ser instrumento para se afligir é antes a ferramenta utilizada pelo intelecto social humano para edificar sua morada, do melhor modo, aqui neste planeta. Não que a notícia deva ser sempre agradável mas deve servir antes de tudo a um propósito construtivo e edificante. “A Reconstrução do Brasil” O que é fundamental?. Para os #caminhospara2018, sugerido pela psicóloga Luciana Guedes.

 

Investimentos milionários são criados depois de saída do PayPal

 

Uma das principais curiosidades para quem acompanha o mundo tecnológico é saber as origens das pessoas que conseguiram alcançar o sucesso econômico. As empresas como Yelp, LinkedIn, Tesla e YouTube possuem um aspecto em comum que trazem muitas explicações sobre as origens dos milionários da tecnologia.

Todas essas empresas têm pessoas que saíram da mesma companhia: o PayPal, e exerceram cargos de destaque enquanto estavam na companhia. Apesar dos caminhos profissionais desse grupo de pessoas mudarem, alguns deles continuaram mantendo contato com os amigos.

Não se tem um número exato do grupo, no entanto, estima-se que são aproximadamente 220 pessoas ainda da época em que a empresa não tinha sido comprada pelo eBay.

Depois da compra do PayPal pelo eBay muitos colaboradores tomaram o seu próprio rumo. De acordo com David Sacks, que trabalhava como chefe de operações da PayPal, a época da venda da empresa não possui lembranças amigáveis.

Apesar dos relatos nada satisfatórios de Sacks, a transação financeira se demonstrou frutífera. A empresa de pagamentos pela internet tem um faturamento que ultrapassa os US$ 10 bilhões ao ano e mudou a forma como as compras e as cobranças podem ser realizadas.

Do outro lado da moeda estão os empreendedores que trabalhavam na empresa que hoje conseguem arrecadar bilhões de dólares com o sucesso de suas empresas tecnológicas.

 

Peter Thiel, fundador do Paypal, depois que vendeu a empresa não se acomodou e foi investir em outras aéreas como fundos de alto risco, empresa de análise de dados e um fundo de capital, mas o seu maior investimento e mais lucrativo foi quando ele se tornou o primeiro investidor externo do Facebook, injetando mais de R$ 500 mil. Hoje as ações tiveram um rendimento de mais de US$ 1 bilhão.

Max Levchin, cofundador do PayPal também não ficou de fora dos investimentos. Com a empresa Slide, ele iniciou o serviço de compartilhar e organizar fotos em redes sociais, posteriormente conseguiu lançar plugins de sucesso no Facebook.

Levchin também decidiu investir em uma rede social e escolheu a Yelp, criada por conhecidos colegas do PayPal. Além disso, participou do conselho administrativo do Yahoo e do Evernote.

Novas coberturas mínimas dos planos de saúde entram em vigor

Entrou em vigor no dia 2 de janeiro deste ano a nova cobertura mínima definida pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, ANS, consideradas obrigatórias aos planos de saúde. A nova regra inclui 18 procedimentos que variam entre exames, cirurgias e terapias em diferentes especialidades, além de ampliar a cobertura de outros procedimentos como os medicamentos orais contra o câncer.

Entre as inclusões e ampliações está em destaque pela primeira vez a incorporação de medicamentos para tratar a esclerose múltipla.

Forão 8 medicamentos disponibilizados que ajudam a combater diversos tipos de câncer, como o de pulmão, meloma, e próstata. Também os exames de tomografia computadorizada para diagnosticar tumores neuroendócrinos e cirurgias para tratar as doenças ligadas a reprodução feminina, como a infertilidade e câncer nos ovários.

Os direitos serão assegurados a todos os que aderiram aos planos após a lei nº 9.956 ou que foram adaptados a ela. Se acaso as operadoras de saúde negar o atendimento, o consumidor deve reclamar a ANS, reforça Carla de Figueiro Soares, diretora adjunta de Normas e Habilitação dos Produtos da instituição.

A cada dois anos é realizada a atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS. Segundo Carla, essa revisão periódica da cobertura mínima é importante para os usuários dos planos de saúde.

O objetivo da ANS é a regulamentação dos critérios de adesão de novos procedimentos para ser mais transparente no tema. As avaliações de segurança e efetividade nos procedimentos são os princípios que guiam as revisões.

Para que os itens do Rol sejam incluídos, excluídos ou alterados para os critérios de utilização dos procedimentos disponíveis, os estudos com evidências científicas de segurança, eficácia e efetividade são levados em consideração pela ANS.

Carla destaca que esses procedimentos incluidos são os que possuem ganhos e resultados clínicos relevantes para os pacientes, segundo os conceitos de avaliação de tecnologia da saúde.

A ANS atende os usuários dos planos de saúde através de canais como o Disque ANS no número 0800 701 9656 ou a Central de Atendimento no site da ANS no endereço www.ans.gov.br. O atendimento presencial em qualquer um dos 12 núcleos espalhados pelo país, onde os endereços estão no site.

 

O Estado do Piauí dá início a projeto que levará conexões de internet por meio de fibra ótica, por Felipe Montoro Jens

Uma iniciativa do governo piauiense pretende levar uma rede de fibra ótica a boa parte das áreas que compõem o Estado. Conhecido por “Piauí Conectado”, o programa será implementado por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP). Todos os trâmites, conforme informa o especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens, ocorrerão por meio de uma licitação. O processo licitatório em questão já teve sua primeira etapa cumprida no mês de outubro de 2017, quando duas empresas interessadas apresentaram suas propostas iniciais.

Felipe Montoro Jens destaca que todos os trâmites para que o projeto seja concretizado foram organizados pela Superintendência de Parcerias e Concessões (SUPARC), órgão presente no Estado do Piauí. Após a instituição concluir a fase de recebimento de documentos dos participantes, há a estimativa de que em um mês as demais fases do processo sejam concluídas. A liberação para que uma próxima etapa seja cumprida se dará somente depois que as questões documentais forem finalizadas pela Agência de Tecnologia da Informação (ATI), uma instituição da esfera estadual.

O modo com que cada participante da licitação executará seus serviços, bem como o valor que cada grupo empresarial irá cobrar pela obra são os dois principais quesitos a serem observados pela ATI. Felipe Montoro Jens noticia que, de acordo com uma nota da SUPARC, a concessão será realizada por meio de uma concessão administrativa. Com isso, as atividades de suporte da infraestrutura e manutenção das instalações serão executadas por meio da empresa vencedora da iniciativa privada. Além disso, a publicação também trouxe informações acerca dos estudos que serão realizados na área de tecnologia da informação.

O governo do estado informou que um total de 5.000 km serão cobertos com a estrutura de fibra ótica. Dessa forma, quase 100 municípios passarão a contar com esse tipo de tecnologia. Um ranking onde o Piauí figurou como o penúltimo estado na inclusão digital teria sido o estopim para que as autoridades governamentais dessem início ao projeto. Assim sendo, há a expectativa de que essa colocação não seja repetida nos próximos anos.

A chegada da conexão de internet por meio de fibra ótica não é um projeto voltado diretamente ao fornecimento desse tipo de serviço aos lares piauienses, já que, segundo Viviane Moura, membro da Superintendência de Parcerias e Concessões, trata-se de algo voltado a atender os órgãos públicos. Felipe Montoro Jens ressalta, entretanto, que a representante do órgão explicou que a população será duplamente beneficiada, pois as empresas provedoras passarão a operar nesses municípios.

Com a chegada dessas companhias, o especialista em Projetos de Infraestrutura salienta a previsão de que a experiência dos usuários de internet seja melhorada, uma vez que essas pessoas passarão a contar com serviços provedores de melhor qualidade. Felipe Montoro Jens explica que a conexão para esses casos será ofertada de forma particular, devendo os usuários arcarem com tal despesa.

 

Especialistas dizem que a previsão para 2018 é de 1,3 bilhão de vagas abertas

Aos poucos a economia vem reagindo e os empregos voltam a aparecer após uma recessão que durou dois anos, a recuperação é lenta e gradual. O mercado informal colaborou com a redução do desemprego no ano passado, e em 2018 se repetirá junto da melhora no mercado formal.

O avanço no Produto Interno Bruto – PIB, fará com que a geração de empregos se mantenha em crescimento em 2018, porém com alguns desafios no caminho.

O economista Bruno Ottoni, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas tem uma previsão de que em 2018 haverá uma geração de vagas líquidas formais de 514 mil e em 2019 esse número sobe para 771 mil postos de trabalho. Os dados mostram que as admissões irão superar as demissões em 1,3 milhão de postos na soma dos dois anos e a formalização dará sinal de crescimento.

Mais do que qualquer outro componente da economia, a recuperação do mercado de trabalho anda lenta. É indispensável que o ritmo da economia se mantenha em crescimento para as empresas terem estímulos em investimentos, e a geração de empregos depende dessa confiança.

O consumo vem melhorando progressivamente devido a desaceleração e queda dos juros e da inflação. É fundamental o aumento na procura para que as famílias consumam bens e serviços e estimulem as indústrias no aumento da produção como consequência.

Existem também algumas pessoas que possuem condições de trabalhar, porém não procuram uma ocupação, ou seja, os trabalhadores potenciais que atualmente chegam a 7,5 milhões de pessoas. Esse é outro fator que condiciona o equilíbrio fiscal.

O consumo será responsável em dizer onde surgirão os empregos no ano que vem. A inflação e os juros estão em pisos históricos, o que favorece a demanda de bens e serviços com uma expectativa de uma grande geração de vagas com ligação aos gastos familiares. As novas modalidades de emprego serão beneficiadas até o ano que vem devido a reforma trabalhista. Porém não existe um consenso sobre o que esse impacto irá gerar com a reforma. Os questionamentos e críticas geram incertezas nas novas leis.

 

Will Smith lança novo filme com parceria com a plataforma Netflix

O novo projeto do ator norte-americano Will Smith, intitulado Bright é um projeto de ficção cientifica que tenta misturar o universo de policiais de um mundo moderno com pavorosas criaturas parecidas com os monstros do exercito inimigo do filme “Senhor dos anéis”.

Assim com a grande maioria dos projetos da Netflix, o filme vai estrear diretamente no mundo digital e estará disponível para os usuários a partir do dia 22 de dezembro. Mesmo com a grande fama do ator ainda assim muitos críticos e especialistas estão muito preocupados com a mistura desses dois universos.

Muitos não conseguem imaginar como surgiu tal ideia! Misturar o mundo moderno com criaturas monstruosas medievais não é exatamente uma formula para o sucesso. Porém, os produtores contam com a versatilidade de Will Smith para tornar não só o projeto atraente mas também visceral para fãs de ação e SciFi.

Joel Edgerton, ator que foi indicado ao Oscar no inicio desse ano também esta no elenco, mas completamente irreconhecível. Caracterizado como um ogro, o ator também teve sua voz modificada.

Joel e Will interpretam policiais que possuem dificuldade em se relacionar devido a diferença de raças. Além disso, os dois começam a proteger uma elfa que esta sendo atacada por outras criaturas magicas por ter roubado um artefato mistico, uma varinha magica!

De acordo com a imprensa norte-americana, o único motivo do filme ter sido produzido é o seu roteiro sensacional que consegue pegar essa história mirabolante com inicio, meio e fim, e apresenta-la em tempo real. Ou seja, tudo se passa no decorrer de uma noite, sem passagens de tempo alteradas!

O diretor do filme é o iniciante David Ayer, que trabalhou com Will Smith no já considerado fracassado Esquadrão Suicida. Apesar de muitas falhas, o projeto é extremamente promissor por conseguir simplificar a história ao máximo, tentando dar mais enfase as incríveis cenas de ação, carisma dos personagens e diálogos muito bem humorados.

 

Jorge Moll realiza experimento que comprova a importância do altruísmo para o cérebro

De acordo com a ciência, fazer o bem é uma prática que pode ser muito positiva para os seres humanos, seja através da doação monetária ou simplesmente na doação do tempo e da atenção a ações e causas voluntárias. Quem constatou essa premissa foi o neurocientista Jorge Moll Neto, que é o atual presidente do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR), em parceria com o psicólogo João Ascenso, que também é estudante de doutorado do Instituto.

Isso foi revelado em um experimento responsável por realizar o mapeamento cerebral através de uma ressonância magnética funcional. Nele, os pesquisadores analisaram que as regiões do cérebro que recebem estímulos por atividades e situações que provocam felicidade prazer, as quais são chamadas de “centros de recompensa”, também eram “estimuladas” quando os indivíduos faziam doações para instituições e projetos de caridade. E o estímulo demonstrou ser tão intenso quanto nas ocasiões em que esses indivíduos ganham alguma coisa para si próprios.

Essa pesquisa do neurologista Jorge Moll Neto e do psicólogo João Ascenso ainda confirmou que a prática do bem também estimula outras duas partes do cérebro, a área septal e o córtex subgenual, ambas ligadas aos sentimentos de pertencimento e apego. Essas áreas estão relacionadas, por exemplo, aos sentimentos que as mães sentem pelos filhos e a união entre casais.

De acordo com Jorge Moll Neto, quando um indivíduo atua em prol de uma causa importante, automaticamente é ativado um princípio cerebral que foi gradualmente desenvolvido em milhares de anos para fortificar os laços de pais e filhos, de casais e de amigos.

O Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino é uma entidade sem fins lucrativos, cujo objetivo é promover o desenvolvimento tecnológico e científico na área da saúde. Para isso, o instituto promove várias iniciativas nos campos da pesquisa e do ensino, sendo que a Coordenação de Pesquisa tem como focos as áreas da medicina interna, medicina intensiva, pediatria, neurociência e oncologia.

Nos dias de hoje, o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino conta com um programa próprio de Doutorado na área de Ciências Médicas, além de parcerias ativas com universidades federais e estaduais do Rio de Janeiro, e inúmeras outras instituições de ensino e pesquisa no Brasil e no exterior.

Desde o ano de 2010, o IDOR atua de maneira independente e conta com uma sede própria, mas a origem do instituto está diretamente conectada a rede de hospitais D’Or São Luiz, que é a principal operadora independente de hospitais no país, criada pelo médico e empresário Jorge Moll Filho.

Após vários anos de trabalho árduo na área da saúde, a rede fundada por Jorge Moll Filho é formada atualmente por mais de trinta hospitais, sendo dois deles sob gestão, o Hospital da Criança e o Hospital Israelita. Em números, a rede D’Or São Luiz conta com mais de 5 mil leitos operacionais, 38 mil colaboradores e quase 90 mil médicos. Além disso, anualmente os hospitais da rede realizam mais de 3 milhões de atendimentos emergenciais e quase 25 mil partos.

 

Ataques de phishing no Brasil são os mais frequentes

O ataque de phishing consiste em um link suspeito ou algum arquivo que foi baixado por e-mail com uma intenção maliciosa. O Brasil é a maior vítima desses ataques, nos quais os usuários são infectados depois de desprevenidamente clicarem em um link.

De acordo com a Kaspersky, empresa da área de cibersegurança, 28% dos brasileiros foram afetados por esse tipo de ataque entre janeiro e novembro de 2017. Depois do Brasil, os países que mais tiveram vítimas desses ataques virtuais foram Austrália (21,8%) e China (19,6%).

A falta de conhecimento e a pouca preocupação com a segurança virtual são causas que fazem o ataques terem eficiência. A correntes que são enviadas em redes sociais como o WhatsApp e a falta de cuidado são fatores que deixam o país em primeiro lugar na lista de mais atacados com phishing.

Com o evento de promoção da Black Friday, maiores são as possibilidades de novos ataques por conta dos diversos acessos a sites para efetuar uma compra. É importante estar atento aos e-mails que oferecem promoções muito vantajosas, como a venda de um iPhone novo por R$ 1 mil, por exemplo.

Em uma coletiva de imprensa em São Paulo, foram realizadas apresentações das tendências de cibersegurança para o ano de 2018. De acordo com as análises é preciso estar atento aos ataques de roubo de identidade, pois existem estimativas que esse seja um dos principais crescimentos de ataques para o próximo ano.

O crescimento do número de bots (robôs de conversa) em redes sociais terá a intenção de influenciar as eleições presidenciais, fato ocorrido nos Estados Unidos que demonstra ter possibilidade de acontecer também no Brasil. É muito fácil utilizar as redes sociais e manipulá-las para conseguir objetivos como esse.

Quando um usuário tem seus dados sequestrados e para resgatá-los é pedido um valor financeiro, o ataque é chamado de ramsomware. Essa forma de ataque está crescendo progressivamente. Em 2017, as ocorrências desses ataques se tornaram frequentes, principalmente por um tipo novo de ameaça que se chama ramonworms, que estão misturados com outros vírus mais comuns e têm a capacidade de se espalhar muito rápido pela internet.

 

IBGE revela que em 2016 mais de 24,8 mi de brasileiros viviam na miséria

Brasileiros que sobrevivem com uma renda inferior a ¼ do salário mínimo mensalmente, chegou a 24,8 milhões de pessoas em 2016, um número 53% maior que em 2014 quando se iniciou a crise econômica no país.

Esses números mostram que 12,1% da população brasileira vive na miséria, de acordo com a Síntese de Indicadores Sociais, o SIS, que foi divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, o IBGE.

O IBGE alterou a metodologia do SIS em 2016, passando a utilizar amostras da Pnad, a Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio Contínua, que contém informações de mais de 3,5 mil municípios. Anteriormente, o IBGE utilizava a Pnad que possui a informação de aproximadamente mil cidades. Devido a isso, o IBGE considera que nem todos as informações de 2016 são iguais a dos anos anteriores. Porém, é possível fazer a comparação de projeções relativas das pesquisas com a quantia de pessoas que vivem com cada faixa de renda.

O IBGE em 2014 apontou em um levantamento que havia 16,2 milhões de pessoas no país com renda abaixo de ¼ do salário mínimo. Assim houve uma elevação em 8,6 milhões de pessoas com esta faixa de renda no período de dois anos.

Em relação a classificação adotada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicada, o Ipea, as famílias com renda de até ¼ do salário mínimo per capita vivem na pobreza extrema e os que vivem com até meio salário mínimo são considerados pobres absolutos.

Em relação a faixa de renda per capita entre ¼ e ½ do salário mínimo no ano passado, eram mais de 36,6 milhões de pessoas que podem se classificar como pobres. Em relação a 2014, houve um crescimento de 2,1 milhões, número 6% maior de pessoas nessa situação.

O Nordeste é a região onde mais se concentra pessoas assim. O menor grupo de pessoas nessa condição é na região Centro-Oeste com cerca de 900 mil brasileiros.

O IBGE destaca que o acesso aos direitos é fundamental para que o desenvolvimento inclusivo ocorra e a análise destes dados é algo relevante para que políticas públicas sejam direcionadas para combater a pobreza no Brasil.

 

Empresário Rodrigo Terpins reporta sobre o uso e a importância do Analytics

Para alcançar o nível de qualidade elevado que os consumidores exigem, as corporações precisam adotar novos sistemas e ferramentas capazes de auxiliar na coleta e na análise dos dados, informa o empresário do ramo varejista, Rodrigo Terpins. Entre essas ferramentas, um exemplo de destaque é o Analytics, uma plataforma que foi o tópico principal de debate em um evento que reuniu os principais nomes do varejo no país.

Chamado de “Analytics como o vetor de inovação do varejo”, o evento foi feito pela Unisys, empresa do ramo de TI, em parceria com a NOVAREJO. No decorrer dos debates, Jacques Meir, que é o diretor de conhecimento do Grupo Padrão, ressaltou que o diagnóstico dos dados e informações representam uma relevância crescente para o mercado varejista. Por esse motivo, esse é um tema que necessita de uma análise constante para que possamos compreender a melhor forma de realizá-lo.

Jacques Meir destacou também que por décadas as principais varejistas do país adotaram gestões cuja maior base era a intuição dos empresários, tendo em vista eu não haviam esses softwares e sistemas de tecnologia avançada. Mas atualmente, reporta Rodrigo Terpins, Analytics se destaca entre os grandes exemplos de ferramentas que realmente são capazes de auxiliar na toma de decisão das grandes corporações varejistas.

Segundo André Almeida, que é o VP da Vertical Commercial para a América Latina, ainda que alguns fatores já indiquem o crescimento econômico brasileiro a médio prazo, diversas redes varejistas permanecem aquém do que estavam antes da atual crise na economia do Brasil. O executivo ressaltou também a relevância de se continuar apostando em inovações, pois é fundamental a análise e a compreensão dos dados que ajudam as empresas a entenderem o comportamento dos seus clientes.

Uma das maiores empresas de varejo do planeta, a Amazon é um exemplo de corporação de grande porte que faz uso do Analytics para as suas decisões corporativas e na escolha de quais estratégias adotar. Ao utilizar esse sistema, uma empresa é capaz de transformar os dados recolhidos em novas soluções que melhorem a experiência de compra dos clientes, o que também impacta no índice de satisfação desses clientes, noticia Rodrigo Terpins.

Ainda assim, a adoção dessa ferramenta é algo que demanda paciência e tempo por parte das empresas. Como exemplo, na Ri Happy, a implantação do sistema levou algum tempo para trazer o resultado esperado. Para Eloi Assis, o CIO da empresa, o Analytics foi capaz de trazer vários benefícios para a Ri Happy quando o diretor de operações concedeu a devida importância para o recolhimento de dados, reporta o empresário Rodrigo Terpins. Nos dias de hoje, a empresa criou um setor dedicado de forma integral a arrecadação e ao diagnóstico dos dados, compreendendo o quanto essas informações são fundamentais para o crescimento da marca.

Já no caso do Magazine Luiza, Beatriz Menezes, a gerente de atendimento aos consumidores, ressaltou que a empresa utiliza um processo de digitalização há anos para ajudar os seus funcionários. Assim, com a coleta e análise de informações através do aplicativo da marca, o Magazine Luiza aposta em uma abordagem muito mais eficiente e personalizada, noticia Rodrigo Terpins.