Cientistas alertam que remédios usados em casos de ansiedade e falta de sono podem matar mais que coca

A utilização de remédios de forma descontrolada em casos de ansiedade e falta de sono, podem colocar em risco as pessoas que estão ingerindo esses medicamentos, como Valium,  Rivotril,  Ativan e Xanax, apresentando índices de morte maiores do que as ocasionadas por drogas ilícitas, como heroína e cocaína. Essas consequências foram verificadas através de dois estudos, que foram divulgados no American Journal of Public Health e que foram realizados por cientistas canadenses.

Os pesquisadores encontraram um componente que é de fato muito preocupante, a BZD (benzodiazepina). Na primeira pesquisa realizada em Vancouver, no Canadá, os cientistas da UBC (Universidade da Colúmbia Britânica), descobriram que a ingestão em grandes quantidades de benzodiazepina, pode levar pessoas ao óbito cerca de 1,86 vezes maior, do que o uso de drogas ilícitas.

Essa pesquisa foi realizada avaliando o quadro de mais de 2.800 pacientes, que fazem uso de medicamentos com essa substância e que foram avaliados de seis em seis meses, durante quase seis anos. No término dessa pesquisa, cerca de 18,8% desses pacientes haviam morrido. Os cientistas perceberam que mesmo levando em conta outros elementos, como a utilização de drogas ilícitas e condutas arriscadas, os índices de mortes continuaram bem altos entre os pacientes que faziam uso dos medicamentos que apresentam benzodiazepina.

Na segunda pesquisa que foi feita com uma parcela menor desses mesmos pacientes, se constatou uma relação entre as pessoas que tomavam medicamentos de benzodiazepina, com a infecção por hepatite C, e os índices ficaram 1,67 vezes maior.

O pesquisador Keith Ahamad, declarou ao jornal Vancouver Sun, que os pacientes acreditam que estão seguros por estarem tomando medicamentos que são receitados por médicos. Mas o que está acontecendo é que essas drogas estão sendo prescritas, de uma maneira que está causando danos graves aos pacientes.

Em uma avaliação da OMS (Organização Mundial da Saúde), ela adverte que essa substância benzodiazepina somente deve ser receitada, em casos graves de ansiedade e falta de sono, quando o paciente se torna incapacitante ou em casos de desespero intenso. A organização também aconselha que os especialistas avaliem os casos, já que essa substância cria dependência e crises de abstinência, tendo que ser receitada por curtos períodos e com doses mínimas para o tratamento.